Compartilhe esse post

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Muito se fala em pensar fora da caixa.

Certamente você já disse ou ouviu alguém dizendo isso. Pois bem, pensar fora da caixa é usar a criatividade, ser disruptivo, inovador, olhar as coisas por outros ângulos, achar alternativas diferentes para os problemas, enfim, é sair da zona de conforto que a caixa representa e arriscar.

Entretanto, mesmo pensando fora da caixa, a tendência é que se volte para ela, mesmo considerando que, ao “pensarmos fora”, ampliamos o espaço e as paredes.

Hoje, ao ver algumas mensagens em minhas redes sociais, sobre outra de minhas atividades, me veio um pensamento: não é fora da caixa, mas SEM A CAIXA!

E parece que uma cortina caiu!

Pensa comigo: se eu pensar fora da caixa, ainda a manterei ali, para voltar. Suas paredes e as vezes até a tampa continuarão fazendo parte da minha vida. Serão como amarras, que parecem confortáveis, dão a falsa sensação de segurança, mas que não permitem ir além do seu próprio comprimento.

Pensar fora da caixa, pressupõem então, a manutenção da caixa.

E o que eu te proponho aqui, e que foi o que percebi tão alegremente, é acabar com a caixa!

Questione-se sempre se o que você faz é realmente o que ama fazer. Quais os motivos, que te prendem às suas caixas. Como pode fazer mais e melhor, com prazer o que está fazendo. Como Quanto de você está dentro da caixa, precisando loucamente sair e ser feliz, derrubando as paredes.

Claro que a caixa é metafórica e cada um aqui saberá quantas tem, que tamanho possuem, densidade das paredes, material da composição. Isso é parte de nossa individualidade e muito importante neste processo. Mas, atenção: você não é sua caixa. Você sequer precisa estar “dentro” dela. Quebrar ou derrubar uma parede de cada vez, olhar para si, reconhecer suas potencialidades e colocá-las a seu serviço, o farão perceber que a caixa era apenas um envoltório que o mantinha estagnado, preso.

Vou te falar por que tive este insight, que para mim foi tão importante e por isso quis dividir contigo. Desde que deixei o mercado formal, com carteira de trabalho assinada, tenho vivido ricas e maravilhosas experiências como empreendedora. Os altos e baixos fazem parte deste cotidiano. E, justamente por me enveredar por caminhos diferentes, percebi que quebrei as paredes. Me libertei.

E, percebi que poderia ter feito isso há muito tempo, se não estivesse tão presa às caixas e apenas querendo pensar fora delas, mas sim, sair delas.

Agora que percebi o quão gigantesco é o universo fora da caixa, algumas palavras ficam mais fortes: disciplina, foco, resignação, resiliência, determinação, gratidão, honra são as que me vem a mente neste momento.

Estas fotos tem tudo a ver com minha ruptura com a caixa…. Não preciso fazer apenas uma coisa, de um único jeito, para um único e determinado fim e com isso “matar” meus talentos. Mas, posso aproveitá-los, melhorá-los, ampliá-los (isso até é bíblico).

Agora é seguir em frente e continuar derrubando paredes, abrindo caixas, saindo delas.

Como estão suas caixas?

Sou Tania Klein, Coach de Desenvolvimento de Carreira.

Estou convencida de que todas as pessoas possuem dentro de si o que necessitam para prosperar em suas carreiras, por isso, meu trabalho é de transformar esse conhecimento em ação para que tenham sucesso e prosperidade, através de um planejamento focado e bem estruturado!

Sou idealizadora do programa Profissional Próspero, para quem deseja ser um profissional brilhante, prosperar na carreira, através do desenvolvimento de competências que só os grandes campeões possuem para chegar ao topo.

Compartilhe esse post

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Instituto Eu Consigo

Instituto Eu Consigo

Deixe seu comentário

Veja o conteúdo que poderá te ajudar na recolocação

Por que pré-requisitos exagerados não geram indignação como o programa de Trainee da Magazine Luiza provocou na última semana?

Imagino que você já tenha lido em algum anúncio de processos seletivos exigências de pré-
requisitos quase impossíveis de encontrar, uma busca pelo candidato perfeito.

Vagas de Estágio que exigem experiências, conhecimentos técnicos. O que foge totalmente
do objetivo do estágio, que deveria servir como aprendizado prático para atividade
profissional do ainda estudante, convém lembrar.

Ler mais »

Sobre nós

O Instituto Eu Consigo é uma instituição sem fins lucrativos que visa auxiliar, através de assessorias e orientações gratuitas, pessoas desempregadas em busca de recolocação no mercado de trabalho.

Curta nossa página